| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Psicologa Rosangela Durão de Freitas
Desde: 12/09/2009      Publicadas: 13      Atualização: 17/09/2009

Capa |  psicologa  |  psicologa rosangela durao de f


 psicologa

  12/09/2009
  0 comentário(s)


APOSENTADORIA

POR QUE OS HOMENS NÃO CONSEGUEM LIDAR COM A APOSENTADORIA

APOSENTADORIA

A maneira como os homens e mulheres lidam com a aproximação da aposentadoria e da terceira idade lança luzes sobre a diferença que existe entre suas estruturas mentais. Para muitos homens ela é um desastre incontornável e pode até contribuir para uma morte prematura porque a maioria dos homens, ao contrário das mulheres, tem obsessão pelo trabalho e pelos esportes.
Os homens sempre se definiram pelo trabalho e suas realizações, as mulheres em geral, se atribuem valor pela qualidade de seus relacionamentos. As mulheres aposentadas mantêm seus círculos sociais construídos ao longo dos anos ou tem facilidade para renova-los. Podem passar o tempo extra, fazendo as coisas que sempre fizeram ou assumir desafios para os quais nunca tiveram tempo durante a vida profissional, sua vida atual é tão ocupada, que elas se perguntam como conseguiam dar conta de tudo quando trabalhavam.
Muitas mulheres aposentadas se associam a grupos de interesse ou desenvolvem novos hábitos. Umas voltam a estudar, outras passam mais tempo cuidando dos outros, outras ainda entram para clubes de terceira idade e usufruem o lazer que lhes faltou durante o período em que o trabalho profissional, aliado às tarefas domésticas, deixava muito pouco tempo para a diversão.

POR QUE OS HOMENS NÃO CONSEGUEM LIDAR COM A APOSENTADORIA?

A perda do trabalho não é a principal causa de todo o estresse quando o homem se aposenta. É a perda de algo bem maior " a identidade.
Quando a aposentadoria se aproxima, é comum o homem negar que a sua vida profissional esteja para se encerrar. Ele acha que tem tanto conhecimento e experiência, que o patrão e os sócios não poderão passar sem o seu talento, e vão chamá-lo para continuar trabalhando. Quando isso não acontece e ele constata que a empresa pode passar muito bem sem ele, o choque é muito intenso.
No período do desligamento, alguns homens acham que vai ser tranqüilo. Mas, a menos que tenham se preparado cuidadosamente, ás coisas raramente continua como nessa fase de lua-de-mel. A perda repentina dos amigos e colegas, da rotina que preenchia seus dias, de seu status e senso de importância pode rapidamente levar à depressão.
A perda de identidade é para o homem, sob muitos aspectos, similar a morte de um ente querido. Começa pela negação, pela raiva, é seguida pela depressão, e, se tudo vai bem, pela aceitação.
A depressão pode chegar sem ser notada. Primeiro, o aposentado se decepciona com sua nova vida e começa a se retrair, perder vitalidade e ficar inativo. O sentimento de rejeição e inutilidade pode levar ao decréscimo da libido, agravando o quadro. Ele relaxa na alimentação, começa a beber, em alguns casos, até se drogar. Fica gripado e contrai doenças menores com freqüência. Às vezes fica pensando, ressentido, nas coisas que não realizou. É fundamental identificar esse estágio depressivo que, se não for superado ou tratado com a ajuda de um profissional, pode se tornar permanente. O resultado é uma vida apática, infeliz e, sobretudo, mais curta.
Sinais de angústia são geralmente a primeira identificação de que o estágio de depressão está em curso. O aposentado culpa os outros por seu sofrimento, sua parceira e família tornam-se muitas vezes o alvo, porque "Não entendem como eu me sinto". Culpa o ex-patrão por não tê-lo preparado para a aposentadoria. Por não chamá-lo para prestar uma assessoria e sente-se uma vitima. Essa raiva é às vezes descarregada como desejo de assumir a direção da casa, especialmente às finanças e programação das atividades sociais e familiares. Ele agora quer ser o diretor " executivo da família.

OS ASPECTOS NEGATIVOS DA APOSENTADORIA.

Quando o casal começa a brigar por causa das diferenças de aptidão e dos deferentes papéis que cada um desempenha, há o período de começarem a se sentir incompatíveis. A mulher pode se magoar com o que lhe parece ser uma intromissão naquilo que para ela é uma vida é uma vida feliz e ordenada, Talvez seja a primeira vez na vida em que ela veja o marido todos os dias no café da manhã, no almoço e no jantar. Ele fiscaliza e dá ordens, solicitando-a para várias tarefas e colaborando muito pouco no serviço de casa, A raiva e o ressentimento começam a crescer dentro dela, e quando se manifestam " em geral de uma forma exasperada " o homem se sente rejeitado, incompreendido e desvalorizado, as coisas podem se agravar tanto, que levam a separação e até ao suicídio.

UM PLANO DE AÇÃO

Primeiro,
- Planejar sua aposentadoria muito antes dela acontecer.
- Tomar consciência de que sua identidade não poderá estar ligada ao setor profissional e a aprovação que recebe dos outros.
- Encontrar prazer em atividades independentes das profissionais, e.
- Desenvolver um círculo de amigos fora do ambiente de trabalho.

Você deve encarar sua aposentadoria como faria com qualquer grande projeto.
Comece a anotar tudo o que lhe interessa.
- Os lugares que gostaria de conhecer.
- As atividades que poderia desenvolver.
- As matérias que desejaria estudar.

Discuta seus planos com a sua parceira, porque ela é a pessoa que vai compartilha-los com você. Tomem consciência do que vai significar essa nova fase de vida em termos de consciência para se prevenirem em relação aos problemas que poderão surgir.
Outras formas de planejamento são com a saúde, trabalho social e comunitário, espiritualidade e sexo, explorem essas possibilidades com o conhecimento que tem um do outro e com o amor que cada um merece depois de tantos anos de companheirismo.


  Mais notícias da seção psicologa rosangela durao de f no caderno psicologa
17/09/2009 - psicologa rosangela durao de f - APOSTILA PARA O CUIDADOR
COMO LIDAR COM UM IDOSO EM CASA...
17/09/2009 - psicologa rosangela durao de f - APRENDIZAGEM COLABORATIVA
Colaborar, cooperar e interagir para aprender......
12/09/2009 - psicologa rosangela durao de f - Inteligência Emocional
UM DIFERENCIAL NO MERCADO DE TRABALHO...
12/09/2009 - psicologa rosangela durao de f - cuidador
O teste vai ajudar você a ficar ciente de seus sentimentos, pressões e cansaço pelos quais está passando...
12/09/2009 - psicologa rosangela durao de f - estresse
dicas para diminuir o estresse...
12/09/2009 - psicologa rosangela durao de f - ESTRESSE
A palavra "Estresse" vem do inglês "Stress". ...
12/09/2009 - psicologa rosangela durao de f - FILHOS ADULTOS DE ALCOÓLICOS
O que é um filho adulto? ...
12/09/2009 - psicologa rosangela durao de f - CLEPTOMANIA,
CLEPTOMANIA, um problema velado, é mais comum do que se imagina - Problema pode ter início na infância...
12/09/2009 - psicologa rosangela durao de f - CONCEITO SOBRE A MORTE NAS CRIANÇAS
UMA BREVE CONCEPÇÃO DE COMO AS CRIANÇAS ENTENDEM A MORTE...
12/09/2009 - psicologa rosangela durao de f - CO- DEPENDENCIA
FAMILIA, FILHOS, COMO TRATAR...



Capa |  psicologa  |  psicologa rosangela durao de f
Busca em

  
13 Notícias